fbpx

Café é tudo igual?

gravatar
 · 
17.03.2022
 · 
3 min de leitura
Featured Image

Para o consumidor comum de café a bebida pode parecer simples, só acrescentar água quente no pó e está pronta uma dose de cafeína. Afinal esse é principal motivo de se consumir baldes diários desse líquido amargo.

Categorizando o café temos alguns níveis de qualidade:

  • Tradicional
  • Superior
  • Gourmet
  • Especial

Não é fácil estudar sobre café, existem diversas informações não confiáveis na internet, não é fácil encontrar livros em português sobre o assunto, muito conteúdo sobre a lavoura, pouco sobre a bebida e menos ainda sobre torra. Só para poder destrinchar essas categorias temos que envolver todas as etapas que a semente (Sim, o fruto do cafeeiro é uma semente, não um grão) passa para poder chegar na xícara.

O consumo também não ajuda, é a bebida mais consumida no mundo, porém não encontramos qualidade em mais de 90% das xícaras. Ou seja, menos de 10% do café consumido no Brasil é de “boa” qualidade. Bebemos e fazemos cara feia, o amargor fica na boca e não é nada agradável. Se essa é a sensação que você tem ao tomar um gole, se estiver no trabalho possivelmente seja em um copo de plástico, você está consumindo um café de baixa qualidade, ou para já entrar nas definições, você está consumindo um café da categoria “tradicional”.

https://miro.medium.com/max/875/1*ezrxQxPiiaM4sSYlDUtMaw.jpeg

Tradição de família, passar um café no coador de pano logo no primeiro horário da manhã, normalmente acompanhando temos pão com manteiga e bolo. O clássico pode mudar de acordo com a região. Pena que já começamos ingerindo uma bebida que é a primeira a ser retirada do consumo pelo médico quando vamos queixar da queimação constante. O motivo: café de péssima qualidade. Não é sua culpa, ninguém te ensinou a beber café. No mercado não temos muitas opções, ainda estamos presos nas baixas categorias devido ao preço do produto na gondola, vai ficando pior ainda se você mora no interior.

Se você busca por um café melhor, vou te ajudar com as categorias de uma forma bem prática:

Tradicional: 80% de café, 20% de qualquer coisa (Café verde, defeituoso, palha, café podre e o que mais der vontade de colocar e que fique dentro das normas da indústria); Evite a todo custo.

Superior: 90% de café, 10% de qualquer (Café verde, defeituoso, palha, café podre e o que mais der vontade de colocar e que fique dentro das normas da indústria); Evite sempre que possível.

Gourmet: 100% de café. O mais puro dos cafés, bebida livre de defeitos. Certo? errado. Ainda não é o melhor que podemos encontrar, mas já fica bebível;

Especial: Aqui sim estamos falando de café de verdade, temos um controle e rastreabilidade total do café. Conseguimos saber tudo sobre a fazenda, lote, quem plantou, colheu, como processou, beneficiou e torrou. Nessa categoria podemos contar a história da bebida. Eu evitaria todas as outras e beberia apenas dessa, seu corpo vai agradecer e você vai tomar sem fazer cara feia.

No final das contas ficamos presos as grandes marcas e como elas vão trabalhar o café no mercado. Quanto mais vai aumentando o nível de qualidade, mais vai ficando caro o produto final. Temos a cultura do café amargo e altamente adoçado. Só assim pra tomar café ruim mesmo, enchendo de açúcar.

Ah, em tempo, café extra forte é basicamente a mesma coisa que consumir carvão. Não tem nada de forte ali, só ta mais torrado.

Tageado maislidos · qualidade
Featured Image

Consumidores de Café

Os consumidores são o oposto dos especialistas Os consumidores abordam o café de uma maneira muito diferente dos especialistas. Para eles, o café é uma bebida diária (em oposição a uma bebida de luxo …
gravatar
 · 
março 23, 2022
Comentários

Sem comentários.

Deixe uma respostaResponder para

OVELHA NEGRA TORRA & CAFÉS® 2022 — Todos os direitos reservados

OVELHA NEGRA
TORRA & CAFÉS® 2022

 Todos os direitos reservados

OVELHA NEGRA
TORRA & CAFÉS® 2022

 Todos os direitos reservados

icone_facebook
icone_instagram
icone_zapzap